01 agosto 2007

CT 173 - quem fica a perder..

Qual é o balanço da votação sobre a proposta de norma DIS 29500 , vulgarmente conhecida por OOXML ?

Que o comportamento do representante da Microsoft Portugal no Comité Técnico 173 "Linguagens de Descrição de Documentos" é um inventário de tudo o que não se deve fazer quando se está a tentar construir um standard de indústria:

1 - Arregimentou vários parceiros para o dito Comité Técnico de Normalização que não acredito que tenham qualquer interesse em continuar a ir a reuniões durante os presumíveis 3 anos de vida de duração deste comité . Segundo testemunhos de vários membros do Comité, alguns vogais nunca abriram a boca nas reuniões. Quantos destes vogais saberão que mais trabalho espera este comité de normalização? Recomendo-lhes que leiam o Programa de Trabalho do ISO para SC34...
Por exemplo - que interesse genuíno terão a JP Sá Couto ou a ASSOFT na normalização de Linguagens de Normalização de Documentos ?

2 - Propôs-se presidir a um Comité de Normalização, e assumiu essa presidência, quando se estava a discutir um assunto de que era parte interessada.

3 - Propôs a votação sobre o Draft Standard DIS logo na primeira reunião do Comité Técnico de Normalização (Está na Acta, que agradecia que fosse publicada). A existência de uma votação num comité de normalização é uma excepção, o normal é chegarem-se a consensos. O agendamento de uma votação logo na sessão inicial do Comité é um indício de que não se procuravam consensos.

4- Propôs na segunda reunião que não fossem aceites mais membros para o Comité Técnico, rejeitando a presença de entidades que poderiam contribuir para o debate, e para um consenso mais alargado, como a Sun, a IBM ou o IST (Está na Acta, que agradecia que fosse publicada). Em linguagem comum, diria que a Microsoft fechou a porta na cara à Sun, à IBM e ao IST.

Um standard de indústria é por norma consensual. Demora tempo, porque envolve negociações entre empresas e consumidores, até se chegarem a soluções de compromisso que sejam aceites por todas as partes. Um exemplo é a nova norma de Wi-Fi, o 802.11n, que está em discussão desde Julho de 2004.

Ao adoptar o comportamento relatado anteriormente, o Presidente do Comité Técnico de Normalização 173 , em simultâneo representante da Microsoft Portugal no mesmo Comité, demonstrou que não entende ou não quer entender o que são standards, que não procura consensos de indústria mas apenas fazer passar rapidamente a posição de quem lhe paga o ordenado.

Quem ficou a perder com todo este caso ?

A credibilidade da Microsoft Portugal.

E pior, a imagem de Portugal no mundo das normas internacionais.

12 comentários:

Anónimo disse...

Concordo com tudo o que disseste, mas tenho uma pequena duvida. quando disseste que a Microsoft fechou a porta á SUN e IBM, eu aceito... mas ao IST... Então e o ISEL?. a Nova? a FCUL?, a FCUP, o ISEP? etc. porque raio as pessoas pensam que o o Instituto superior tecnico, essa grande escola de (pseudo) intelectuais está acima de tudo...

Mário disse...

Por favor, vamos acabar com a palhaçada das rivalidades entre universidades. O IST estava na lista porque se propôs. Qualquer outra Universidade era livre de se propôr a membro do comité.

P.S. - Sou da FEUP e não tenho absolutamente nada a ver com o IST.

P disse...

Não há maneira de impugnar esta decisão? As palhaçadas do II com o número de lugares e o conflito de interesses do presidente do comité indiciam clara e inequivocamente que houve conluio entre a M$ e os seus cãozinhos amestrados. O que no caso do II, como organismo público é ainda mais grave!

Anónimo disse...

Mas porque raio quando as coisas não nos são de feição, colocamos logo tudo em causa?

O mesmo comité também muitas vezes designado por INCITS/V1 nos estados unidos teve como presidente o editor técnico do ODF, e o voto foi não, devemos por isso conluir que ele também não o poderia ser? E a votação devemos também coloca-la em causa?

Acho que deviam ler a opinião do Paulo Trezentos aqui:

https://www.blogger.com/comment.g?blogID=5855513613382141329&postID=4516574507136134052&

Ele está certo, basicamente é disto que se trata.

Victor

pvilela disse...

É isto em que ele está certo? "Penso que a Microsoft conduziu os convites para as empresas certas estarem presentes"
Pois está ! E tu concordas claro! As empresas certas para votarem como uma manada! Sem sequer abrirem a boca! Eu tinha vergonha!

Continuas sem perceber que é um standard... Eu sei que não ensinam isto na Microsoft, mas tenta perceber. Definir um standard é como definir as regras de um jogo, e jogarem todos com as mesmas regras. Têm de chegar a acordo. Não pode ser "eu jogo com as minhas regras e tu jogas com as tuas"..

Mário disse...

Victor,

O Paulo tem de ser politicamente correcto. Eu não.

As entidades presentes envergonham o título de "Comissão Técnica". JP Sá Couto? Que raio tem uma empresa de retalho de hardware a ver com standards de documentos Office? ASSOFT?

Porque raio foi negado acesso à SUN e IBM, essas sim, entidades competentes para avaliar ou não se o OOXML poderá ser um standard?

A Microsoft tratou de exercer o seu lobbyismo e conseguiu que um voto a favor sem que haja qualquer mérito técnico. O pior é que ninguém se tenha imposto contra este lobbyismo, tarefa esta que deveria ser responsabilidade do Estado.

Mas claro, tu, como pupilo da Microsoft, estás sempre a cheirar o que sai de lá. Deve ser difícil suportar o cheiro a esterco. Boa sorte.

Anónimo disse...

Alguém sabe qd é a entrega?

http://blog.softwarelivre.sapo.pt/2007/07/31/diz-nao-ao-ooxml-13/#comment-46453

Anónimo disse...

Alguém sabe qd é a entrega?

link

Anónimo disse...

É tudo muito triste, mas não me atrevo a dizer que tenha sido inesperado.

A Microsoft estava atenta e ocupou o máximo de lugares que pôde... depois foi só uma questão de contar espingardas e aguardar pela votação final.

Só discordo num ponto: a ASSOFT enquanto associação de empresas do sector tinha toda a legitimidade em estar presente (pelo menos, tanta quanto a ANSOL), quanto às outras empresas e a avaliar pelas transcrições do Rui Seabra eram só 'espingardas' para a contagem final, dado que, aparentemente, nem sequer contribuíram para a discussão...

Choque Tecnológico... sim, e que choque :-(

Carlos Correia

Anónimo disse...

Em determinada altura, o Carlos Correia diz que "a ASSOFT enquanto associação de empresas do sector tinha toda a legitimidade em estar presente". Eu não tenho essa certeza.

Tenho contactos profissionais com algumas empresas que, por qualquer razão, estão nas listas de correio da ASSOFT. Talvez saibam, aquelas cartas periódicas que a associação envia a pedir as listas de programas instalados no parque informático, e que a pirataria é um crime, e que as multas são pesadas, e que arriscam-se a receber uma inspecção. Ora eu já verifiquei que estas cartas costumam ser, por bizarria do universo, coincidentes com o lançamento de novos produtos da Microsoft. Coincidência, claro.

João Sousa

Anónimo disse...

João Sousa:

A ASSOFT representa os seus associados. Uma vez que eles são, na sua maioria, distribuidores da Microsoft, não será de estranhar que tenham uma posição alinhada com a dessa empresa.

Não poderá NUNCA ser por defenderem uma posição contrária à nossa (ou mesmo até, ao que o bom senso recomenda), que perdem legitimidade ou o direito de se sentarem num comité deste tipo.

Não se pode esperar que uma associação empresarial vá defender os interesses dos cidadãos, mas sim dos seus associados (o que poucas vezes será coincidente).

O que haverá a fazer (e, sim, é um trabalho gigantesco), será denunciar o escândalo do monopólio de software e continuar a "meter pauzinhos na engrenagem", através de uma melhor organização e coordenação de esforços (mea culpa, que sou dos primeiros a baldar-me às reuniões).

De qualquer modo, e como em tudo na vida, a nossa posição do dia-a-dia é MUITO importante: muitos há que, apesar de não concordarem com a situação, para ela contribuem activamente, com a desculpa de que têm que sustentar a família.

O que me leva a pensar que se o Bill Gates não tivesse nascido, estariam agora a morrer à fome... será?

Carlos Correia

Vitor Domingos disse...

de lcaza calls OOXML a "Superb Standard":
http://slashdot.org/comments.pl?sid=293507&cid=20547277