20 dezembro 2006

Participar

A recente escolha da Time's Personality of Year: You já foi comentada por outros bloggers. Com mais umas achegas sobre a Web 2.0. É interessante que estes conceitos cheguem á imprensa generalista, mas não são propriamente novidades. A Sun Microsystems, por exemplo, já fala exaustivamente sobre a Era da Participação desde 2005 - ver as conversas e o blog do Jonathan Schwartz, continuando até ao recentíssíssimo The Big Mashup - forum sobre como a rede está a mudar o entretenimento e as notícias. O que me interessa é refectir como tudo isto afecta o mundo do software livre.

Ainda recentemente o Gildot lançava um debate sobre a falta de participação na comunidade de software livre. Quando ao mesmo tempo toda a gente e mais alguma quer escrever blogs, fazer videos ... Que se passa?

Passa-se em primeiro lugar que as pessoas descobriram a Internet como um meio de participar, de dar a sua contribuição ao mundo. Fantástico ! A Internet foi de facto criada para comunicar, e o e-mail primeira "killer application", há muitos muitos anos. O que se passa é que neste momento é cada vez mais fácil publicar o que se cria. Essa criatividade não tem fronteiras, e cada um usa-a para o que mais lhe interessa. Por exemplo, tenho também um blog de poesia :-) (sim, não penso só em informática..)

Passa-se em segundo lugar que essa participação está gradualmente a ser desintermediada. Algumas pessoas enviam notícias ou fotos para os jornais para publicação, sabendo que só por sorte isso acontecerá. Mas quem já domina as ferramentas da internet já não se preocupa com isso, e publica as suas notícias e fotos e vídeos directamente..
Há alguns anos o melhor acesso ao software livre seria via foruns como o Gildot (que respeito muito) , ou sites para dúvidas. Hoje em dia a maior parte das pessoas que conheço que usam Linux vão directamente á fonte, às distribuições. Há uma avidez pela rapidez. Uma notícia num blog agregado no Asterisco surge quase instantaneamente, sem passar por editores intermédios.

O que nos leva, em terceiro lugar, à liberdade. Há cada vez mais liberdade na net, devido a esta desintermediação. É claro que há cada vez mais lixo, mas há também muito mais possibilidades de se descobrir coisas interessantes.

Bem, eu já sou livre de fazer tudo o que quero com software livre e gratuito. Os meus agradecimentos públicos a todos os que contribuiram para isso. A maior parte das pessoas tem os seu interesses longe da informática, e muito bem. Apenas se interessam pela componente "gratuito" e "facilmente acessível". Porque me devo preocupar em as "evangelizar", se já tenho o que quero ? Porque me interessam os 240.000 downlaods do OpenOffice.org, se já fiz o meu ?

Por um lado, porque garante a continuidade do projecto. Ou seja, para garantir que continuo a ter um OpenOffice.org gratuito e cada vez melhor, quero que haja muita gente a usá-lo.
O que não significa necessariamente a contribuir com código, ou de outra maneira. Repito o que disse - as pessoas têm os seus interesses, que não passam na maioria dos casos pela informática. Não me choca nada que hajam poucos "militantes". Mas gostaria de juntá-los, garantir que todos os que se interessam por informática, e gostam da liberdade de poder utilizar programas que cada um pode melhorar ( nem que seja através de sugestões) encontrem na internet os que têm esses mesmos interesses, e que possam colaborar, criar blogs e vídeos publicitários, partilhar as suas experiências - especificamente em Portugal. Livremente. Precisamos de mais wikis, mais blogs, mais tubes, e de ligações entre eles.

E também por outra razão. Porque dá gozo. Porque sabe bem partilhar as ideias com os que têm os mesmos interesses. Seja a poesia ou o software livre.

E sei que há mais por aí que gostariam de participar mais..

7 comentários:

Luís disse...

Eu acho que em Portugal existe um desinteresse completo pelos programas livres. As razões são difíceis de entender alias como muita coisa neste Pais.

Quando iniciei o programaslivres
href="http://programaslivres.net/page.php?81"> programaslivres
há cerca de um ano pensei que o difícil seria organizar a comunidade que iria crescer a volta do projecto. Que inocência!

Tinha como base de trabalho o sítio Framasoft francês ( http://framasoft.net/ ) com mais de 1000 colaboradores , mais de 1000 programas analisados, centenas de guias, um wiki muito concorrido, um fórum muito activo, um sítio dedicado aos programas portáteis e por ai fora. Framasoft tem uma dinâmica impressionante. E existem muitas mais sítios com esta pujança em frança.

Ao fim de um ano somos 4 (quatro!!) colaboradores. Tive que desistir (suspender?) do fórum por ele se encontrar às moscas. Os projectos associados ao sitio estão na gaveta à espera de melhores dias. Mudei o aspecto do sitio para um visual mais blog, mais jovem mas continuo sem visitas nem colaboradores.

No outro dia um amigo meu pediu-me para criar um sítio dedicado a cromos (cromos verdadeiros) e criei o sítio com o cms e107 que era o cms que usava na altura no programaslivres. Num mês , sem publicidade, sem promoção, sem arquipélagos, sem nada, apenas com conteúdos (em português para portugueses) conseguiu mais visitas e membros (100) inscritos no fórum de que eu no espaço de um ano.

De vez em quando recebo um email a dar-me os parabéns pelo sítio. Mas não passa disso.

No Brasil encontro fóruns dedicados a um (apenas um !!!) programa livre e com 1000 e tal membros. Aqui está um exemplo: http://www.gimp.com.br/bb2/ .

Admito que possa ter falhado algures mas olhando para o panorama vejo que não sou o único. Algo não bate bem aqui.

Em Portugal não existe público para este filme (software livre). É uma pena, porque é um bom filme.

Luís disse...

A ligação que eu queria associar a palavra programaslivres era http://programaslivres.net/
Agredeço a correcção e podias por favor apagar este comentário

RedTuxer disse...

Participar! Porque dá gozo e sabe bem partilhar as ideias com os que têm os mesmos interesses, como software livre.
Esta frase diz tudo!

Francisco Costa disse...

A culpa é do povo...

Apesar de uma parte da minha vida ser ocupada pela informática, admito que estou longe de ser um especialista. No entanto basta dizer a alguém que tenho um pc com Windows e Linux e começam logo a pensar, este gajo é um génio, ele consegue instalar e trabalhar com o Linux... eu nem sequer pesco nada daquilo, mas aquilo até não é difícil...
O povo tem a ideia que o Linux e tudo o que seja software livre é uma complicação.
O governo também tem culpa, não promove o software livre, prefere fazer acordos com a Microsoft e anunciar que isso é um passo para o desenvolvimento tecnológico do pais.

pvilela disse...

Em primeiro lugar, no Brasil há 150 milhões de brasileiros e brasileiras, e o estado incentiva muito o software livre. É natural que haja mais participação.
Mas é de facto necessária mais promoção. Talvez vejas mais coisas a partir de Janeiro, quando o Ministério da Educação começar a distribuir pelas escolas um CD de software livre..(mais informações depois..)

Depois, talvez haja uma questão de segmentação: há vários sites e blogs de notícias. O programaslivres.net é de facto bastante atraente( vou colocar no meu RSS), mas é generalista. Há vários "competidores" nessa área. No meu caso, embora dê algumas notícias, especialmente quando as tenho em primeira mão, prefiro fazer comentários, o que até me sabe bem pessoalmente. :-)

Sugestões :
- propores uma fusão a outros blogs de notícias generalistas
- criares algo mais especializado, sobre um software específico
- criares um agregador de blogs de software livre, como o Asterisco, mas só sobre esse tema? Acho que faz mesmo muita falta..

Luís disse...

Ola Paulo
O programaslivres não é um blog generalista de noticias, é um repositório de programas livres. Como não posso publicar análises de programas diariamente (somos poucos) e como consulto muito sítios sobre open source opto para manter vivo o sitio com noticias. Se consultares o sítio vais verificar que temos dezenas de análises e artigos sobre programas feitos em "primeira mão".
Como podes definir o programaslivres como generalista se é o único sítio do género em Portugal? Só conheço o alphamatrix mas aborda apenas programas portugueses e não são feitas análises.
Mas já agora diz-me quais são estes competidores(não gosta desta palavra quando falo de programas livres)? Quantos sítios tem um repositório de programas livres?
Amanhã vamos disponibilizar em download nacional uma iso com todos os programas analisados. Achas isso generalista?
Agradeço que coloques o meu sítio no teu rss mas diz-me um coisa? Tu não conhecias o sítio? O meu sítio aparece diariamente no teu blog através do arquipélago no canto direito inferior há já alguns meses.
Obrigado pelas sugestões.

pvilela disse...

Calma. Defini generalista apenas porque aborda todo o software livre, a não apenas os programas de office, ou os programas de design gráfico, por exemplo.. Não tem absolutamente nada de depreciativo. Só estava a dizer que quem saber notícias pode ir também ao gildot, ao tux, ao alphamatrix, ao slashdot... Mas já te definiste como tendo uma análise dos programas existentes, o que é sempre bom para quando alguém pede um programa livre para fazer isto ou aquilo.
Estava apenas a dar sugestões de como chegar a mais gente, mas não tenho receitas nem pretensões de ensinar ninguém, especialmente quando esse alguém trabalha bem.
Acho óptimo colocares os ISOs disponíveis,
Quando falava de incluir no RSS, é no meu caso receber os novos posts no meu mail ( ao invés de ir ao site de vez em quando..)