27 novembro 2010

Assembleia da República não implementa as suas próprias resoluções ?

Reclamação enviada para a Assembleia da República, depois da constatação de que as iniciativas legislativas continuam a ser publicadas no site www.parlamento.pt apenas no formato DOC:

"Não sei como é que a Assembleia da República, que é de todos nós, publica as iniciativas legislativas num formato fechado e proprietário, o DOC; que implica a aquisição de um software proprietário para a sua leitura (sim, o Microsoft Office é pago !)

Isso é tão escusado quanto existem livermente disponíveis formatos abertos e normalizados internacionalmente, como o ISO 26300, vulgarmente conhecido por ODF, e o ISO 32000-1, vulgarmente conhecido por PDF, para os quais existem aplicações gratuitas.

A utilização deste formato está também em desacordo com a Resolução da Assembleia da República nº 53/2007, de 19 de Outubro, que diz nomeadamente o seguinte:

"Disponibilização em formato aberto de toda a informação e documentação publicada nos sítios Internet e intranet da Assembleia da República, permitindo aos seus utilizadores o acesso a todos os conteúdos de forma não condicionada ao uso de software proprietário"

Diria que 3 anos dá deveriam ter sido suficientes para a Assembleia da República ter implementado as suas próprias Resoluções.. Afinal é a própria Assembleia da República a dar o exemplo no incumprimento da legislação ?"

Incentivo todos a ir ao site www.parlamento,pt e fazer o mesmo. A Assembleia da República deve dar o exemplo no cumprimento da legislação,

3 comentários:

Anónimo disse...

De Anónimo, porque tem mesmo de ser. Algum cuidado na formulação do texto não perderia, antes pelo contrário.
Subscrevo tudo, naturalmente...
Reformule a apresentação do texto e terá certamente mais apoiantes.

Tiago Silva disse...

Enviei reclamação...
Se estes senhores forem de calibre semelhante aos cavalheiros do Instituto Português da Qualidade aquando do drama gerado pelo OOXML... não espero qualquer resposta.

Cafonso disse...

Há quem se dispense de cumprir as leis, pelos vistos até o próprio organismo que as emite (ou fiscaliza politicamente quem as emite).