28 março 2008

OpenOffice.org 2.4 disponível no novo site pt.openoffice.org






A Comunidade Portuguesa do OpenOffice.org anuncia a versão 2.4 da alternativa livre ao Microsoft Office, e o seu novo sítio na Internet

A comunidade portuguesa do OpenOffice.org, que integra voluntários individuais e as empresas Caixa Mágica, Intraneia e Sun Microsystems, anuncia o lançamento da versão 2.4 do OpenOffice.org, e a remodelação do seu sítio na Internet
http://pt.openoffice.org

Esta nova e melhorada versão da suite de office de código aberto mais utilizada em todo o mundo proporciona uma alternativa viável e legal ao Microsoft Office . O OpenOffice.org 2.4 inclui novas funcionalidades, melhorias e correcções e protege os utilizadores de potenciais ataques entretanto descobertos.


Melhoramentos no OpenOffice.org 2.4

Os utilizadores irão apreciar mudanças como uma impressão mais fácil e a possibilidade de arquivo de documentos em formato PDF/A, uma norma ISO. A fonte padrão é agora DejaVu, que suporta mais idiomas que a anterior BitStream Vera. Os utilizadores de Mac OS X irão apreciar a utilização do player Quicktime e do corrector ortográfico nativos..

O Processador de Texto do OpenOffice.org permite agora uma mais fácil selecção do idioma para correcção ortográfica. E a selecção de texto foi melhorada, tal como a função de 'encontrar e substituir.

Os utilizadores regulares da Folha de Cálculo do OpenOffice.org apreciarão a racionalização da entrada de dados e fórmulas. Outros novos recursos incluem uma função inteligente de “mover e copiar “ para blocos de células, a capacidade de transformar dados em colunas; e melhorias na impressão, filtragem de dados, e no Data Pilot.

Os módulos de Desenho e Apresentação estão mais fáceis de utilizar e têm capacidades de gravação em formato PDF melhoradas. O módulo de Apresentação tem agora uma fascinante gama de transições com efeitos 3D suportados através de uma extensão.

O módulo Gráfico, utilizado em todo OpenOffice.org, continua a evoluir rapidamente. Os novos utilizadores beneficiam de escolhas por omissão mais inteligentes. Os utilizadores avançados têm mais opções que lhes permitem afinar um gráfico exactamente da maneira que pretendem.

A aplicação de Base de Dados suporta agora MS-Access 2007 (ficheiros accdb) , e tem capacidades reforçadas na utilização das bases de dados MySQL, Oracle / JDBC, e HSQL (a BD nativa). O Query Designer também foi melhorado.

O OpenOffice.org em Portugal

A Comunidade Portuguesa do Openoffice.org anuncia também a remodelação do seu sítio em língua portuguesa, http://pt.openoffice.org , que conta agora com novas secções: “O que é”, “Download”, “Ajuda”, “Colaborar”, “Distribuir”. Existe a possibilidade de inscrição numa Newsletter e de esclarecimento de dúvidas através de um forum.

A comunidade portuguesa do Openoffice.org está em franca expansão, em número utilizadores e de colaboradores. O OpenOffice,.org é cada vez mais reconhecido em Portugal como uma alternativa séria e profissional, para uso individual ou nas empresas.

O presente e o futuro

O OpenOffice.org tem já dezenas de milhões de utilizadores em todo o mundo. Existem várias implementações gigantes, como no Banco do Brasil, com 100.000 utilizadores, ou na Polícia francesa, com 90.000. Muitas mais referências estão disponíveis em http://wiki.services.openoffice.org/wiki/Major_OpenOffice.org_Deployments)

Em Portugal, os utilizadores contam-se por largos milhares. Quando do lançamento da versão 2.2 foram feitos 8.000 downloads só na primeira semana.

O próximo lançamento do OpenOffice.org, a versão 3.0 será feito em Setembro de 2008


Sobre o OpenOffice.org

O OpenOffice.org Comunidade é uma equipa internacional de voluntários e empresas, incluindo a fundadora Sun Microsystems, a Novell, a Red Hat, a IBM, e a Red Flag, que desenvolvem, traduzem, apoiam e promovem a suite de produtividade de código aberto OpenOffice.org ®.

O OpenOffice.org usa o OpenDocument Format, uma norma internacional (ISO/IEC 26300 ), bem como os formatos de arquivos clássicos, como os do Microsoft Office,. Está disponível nas principais plataformas de computação em mais de 80 idiomas.

O software OpenOffice.org é fornecido sob a licença “Lesser GNU Public Licence” (LGPL), e pode ser utilizado gratuitamente, para qualquer propósito, privado ou comercial.

Links

Download gratuito do OpenOffice.org 2.4:
http://pt.openoffice.org/download/download.htm

O que há de novo: http://www.oooninja.com/2008/03/new-features-openofficeorg-240.html

Todas as novas funcionalidades: http://wiki.services.openoffice.org/wiki/New_Features_2.4


Mais informações sobre o OpenOffice.org

O OpenOffice.org em Portugal:
http://pt.openoffice.org

O OpenOffice.org no Mundo: http://www.openoffice.org



4 comentários:

Pedro Cavaco disse...

Ora aqui está uma boa notícia!

olhorobot disse...

olá!
já uso o openoffice há algum tempo.

reparei no pormenor:

"O software OpenOffice.org é fornecido sob a licença “Lesser GNU Public Licence” (LGPL), e pode ser utilizado gratuitamente, para qualquer propósito, privado ou comercial."

e como sei que é um expert na matéria (disse-me uma pipoca) gostava que me esclarecesse uma dúvida:

como saber ao certo se um software é opensource ou com licensa gnu é gratuito para utilização comercial?

pode-me sugerir alguma leitura desta matéria?

mil obrigados
ricardo

pvilela disse...

O modo de licenciamento do software open-source depende da aplicação concreta, de modo que só consultando o site respectivo é que se poderá saber.
De um modo geral, quando a utilização não é gratuita isso está bem explícito no site.
Nalguns casos existem uma versão paga e uma versão gratuita. Na maioria dos casos a única coisa que é paga é o suporte, que não é obrigatório.

Exemplos:
1) o Ubuntu é gratuito. Pode-se, se se quiser, fazer um contrato de manutenção com a empresa Canonical.
2)O Red Hat Enterprise Linux implica um contrato de suporte obrigatório - mas existe a versão gratuita,o projecto Fedora, sem algumas das funcionalidades da versão empresarial
3) A utilização do MySQL é gratuita para uso individual ou projectos GPL; é paga para quem o quiser incorporar num projecto comercial, ou para quem quiser fazer um contrato de suporte

olhorobot disse...

obrigado pela explicação ;)