25 abril 2007

Recomendações europeias sobre formatos abertos de documentos

O IDABC, orgão da Comissão Europeia, publicou novas recomendações sobre formatos abertos de documentos.

Recomendações para as administrações públicas europeias

  • Fazer o máximo uso das normas internacionais de troca e armazenamento de documentos
  • Utilizar apenas formatos implementados por vários produtos, de modo a evitar a utilização forçada de produtos específicos
  • Considerar a definição de requisitos mínimos relativos a funcionalidade de formatos de troca de documentos de forma a obter a procurarr obter a compatibilidade entre aplicações

Recomendações para a indústria

  • Trabalhar juntos com rumo a uma única norma internacional de documentos abertos, aceitável por todos, para documentos editáveis ou não editáveis
  • Desenvolver aplicações que trabalhem com todas as normas internacionais
  • Abster-se de oferecer extensões às normas internacionais relevantes
  • Fazer propostas para testes de conformidade

Lentamente caminhamos para a liberdade de criar novos produtos e para a sua interoperabilidade..

É pena, mas natural, que ao contrário do que afirma o Marcos Santos, isto aconteça através de todos os obstáculos levantados pela empresa em que ele trabalha.

5 comentários:

Cafonso disse...

É pena que a UE não tenha ela própria sistematicamente usado os preceitos que advoga.

Se olharem para o "novo" sítio de apoio à tradução o iate.europe.eu verificam que não usaram convenientemente os standards apropriados.

Anónimo disse...

A opinião do Rob é tudo menos isenta...

Já o James Governor que seguramente conheces bem, diz o seguinte:

http://www.redmonk.com/jgovernor/2007/04/19/openxml-vs-odf-does-the-archiving-argument-stack-up

pvilela disse...

Não concordo com o James G sobre a coexistencia de vários standards. Nem é essa a opiniao dos representantes europeus no IDABC, Penso que esses serao isentos, não?

Anónimo disse...

"Penso que esses serao isentos, não?"

Eu imagino que sim, como não conheço as pessoas não vou duvidar da sua capacidade. Acho estranho é que haja tanta pressa a correr atrás de um standard tão imaturo como o ODF, já que são inumeras as áreas não especificadas e que deixam o ónus da sua resolução do lado das aplicações, o que até é natural, já que no OASIS 75% das reuniões foram realizadas por duas pessoas, não estou a dizer que por isso é mau (acho até que apesar disso realizaram o seu trabalho, não desistiram e levaram-o até ao fim, têm por isso o seu mérito), mas deixa um pouco a desejar no que seja garantir ou satisfazer, os requisitos de uma base alargada de potenciais utilizadores.

Anónimo disse...

Basicamente o que o James quer dizer é que neste dominio das aplicações, não faz muito sentido existir apenas um formato, se queres que te diga concordo, basta-me que seja aberto.