13 março 2006

Software via web

Á medida que a banda larga alastra e se torna mais rápida, torna-se cada vez mais viável o software executado via web . A Google está a trilhar esse caminho com entusiasmo, e a recente aquisição do Writely, uma ferramenta de tratamento de texto via web, mostra-o claramente.
A Microsoft já percebeu também que o caminho é esse, e Bill Gates já escreveu outro memorando sobre o software como serviço e a necessidade de a empresa se adaptar a este novo modelo. O Office Live é um passo nesse sentido, consistindo em alojar os serviços de web e e-mail em Redond, e passar a receber uma mensalidade por isso.

Neste campeonato há novas regras. Por exemplo, em relação ao que se pode fazer com o Writely, que é editar os documentos e partilhá-los na web. O formato passa a ser menos relevante, porque todos aqueles com que o o criador do documento resolver partilhá-lo podem aceder a ele sem necessitar de qualquer programa à excepção do browser.

O monopólio da Microsoft continua a ser baseado no Windows e no Office. A web é bem mais competitiva. Aí já não será possível manter esse acorrentar das aplicações ao sistema operativo e esse controlo férreo do formato dos documentos. Á medida que o acesso sem fios e aplicações como o Google Maps, e o Writely se espalharem vai passar a ser cada vez menos necessário instalarmos aplicações locais. Não estou a dizer que isso vai acontecer a curto prazo. Este tipo de mudanças radicais nunca é rápida. Mas vai acontecer.

Que implicações têm estes acontecimentos sobre a comunidade de software livre ?
O esforço enorme em curso de conquistar o desktop poderá a prazo ser redireccionado para a criação de aplicações web como as que já aqui foram referidas. A guerra entre software proprietário ou livre tornar-seá então mais acesa nos servidores.

Há implicações deste movimento que têm de ser bem pensadas. É necessário assegurar o direito à saída, saber se uma pessoa pode migrar os seus documentos alojados numa aplicação para outro fornecedor web mais económico. Sim , porque parte destes serviços serão certamente pagos.

Reflexões adicionais são bem vindas. É um mundo novo.

6 comentários:

Jaime Cardoso disse...

Não sei o que é que o Software as a Service vai implicar para o mundo Opensource mas, acho que isto vai ser uma oportunidade de ouro para os ISPs locais.
Tudo o que o Google faz, os ISPs Portuguese podem hoje fazer com um custo bastante baixo mas, o que o Google não consegue fazer é oferecer serviços localmente.
Porquê parar na edição de documentos quando posso contractar ao meu ISP um advogado para o revêr, porquê parar na folha de cálculo, uma folha de cálculo colaborativa e um contabilista do outro lado a meter a minha declaração de IRS.
Acho que as potencialidades são quase infinitas e é bom que se despachem, antes que a Apple as patenteie a todas :)

Mario Valente disse...

Os proximos candidatos:

http://www.writeboard.com/

http://www.numsum.org/
http://www.irows.com/ (mto bom)

http://www.thumbstacks.com/

http://www.basecamphq.com/

http://www.backpackit.com/

Anónimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anónimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anónimo disse...

Great site loved it alot, will come back and visit again.
»

Anónimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»